Investimentos para Iniciantes – Por onde começar

Compartilhe nas redes sociais
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Eu consigo imaginar como é esta sensação: todo mundo que você conhece e admira tem falado sobre investimentos. Na academia, trabalho e no grupo do futebol, e até quando você resolve relaxar e acompanhar sua rede social preferida, o papo é o mesmo.

Alguns dos seus amigos viraram especialistas em investimentos da noite para o dia, e agora usam expressões que você nunca ouviu.

Para te ajudar a se situar, criamos este material que irá explicar um a um os tipos de investimentos para iniciantes. Meu nome é Alex Riffel e sou co-fundador do Bolsa de Dados, um site que disponibiliza conteúdo gratuito sobre investimentos semanalmente.

Todos nós sabemos o tamanho e a importância da palavra “investir”, porém esta é uma das coisas que geralmente não fazemos ou delegamos. Aprenda agora porque você deve investir com consistência e como fazer isso a partir de hoje!

A Jornada do Investidor Iniciante
Toda jornada possui um começo, meio e fim. Assim como um quebra cabeça, sua jornada precisa ser montada.

Por que investir?

A primeira pergunta que devemos responder é: por que eu devo investir?

Primeiramente, investir não deve ser visto como obrigação ou oportunidade eventual. De antemão já vou adiantando que investimento é coisa séria e é para a vida toda. Um dos maiores objetivos de quem investe é receber uma renda passiva mensal significativa. Mas, para isso, é necessário foco e disciplina a longo prazo. Isso permitirá que você tenha resultados que não imaginava e fará você buscar cada vez mais.

Agora voltando ao tópico, por que investir?

Antes de tudo, durante muitos e muitos anos a poupança foi o único ”investimento do brasileiro” para todas as classes econômicas. Apesar disso, nos últimos anos a nossa querida amiga poupança perdeu e muito sua rentabilidade e recentemente está performando abaixo da inflação. Resumidamente, seu dinheiro está perdendo poder de compra. 

Não parece um cenário muito favorável, não é mesmo? Entenda melhor nesse artigo como funciona o cálculo de rentabilidade da poupança e qual a situação da caderneta hoje.

Eu entendo que estamos saindo de um cenário onde todo nosso dinheiro estava na poupança e estamos migrando para a renda variável, buscando maior rentabilidade ou, pelo menos, a conservação do poder de compra do nosso dinheiro. Mas porque, mesmo com a atuação vergonhosa da poupança, muitos brasileiros ainda não começaram a investir?

Motivos pelos quais os brasileiros não investem

Abaixo neste infográfico separei alguns dos motivos mais comuns para o brasileiro não investir:

O Investidor iniciante possui diversas dúvidas e também motivos para não investir, desta forma resolvemos listar os motivos mais comuns.
6 motivos para não investir

Cada um dos pontos listados acima é uma dor que precisa ser sanada. Sendo assim, agora vamos falar sobre cada uma das objeções em específico e como superá-las.

1 – Investir é para os Ricos

A Ibovespa é majoritariamente composta por pessoas físicas, ou seja, investidores como você e eu. Segundo dados da B3 (sigla de Brasil Bolsa Balcão, a bolsa de valores brasileira) no ano de 2020 o saldo médio por pessoa na Bolsa foi de R$ 140.000,00.

Esse valor não é alto se considerarmos que existem mais de 30 mil CNPJs na Bolsa de valores e estas organizações possuem milhões de reais investidos em várias empresas.

Outro dado interessante é que no mês de março de 2020 – mês em que a Bolsa teve uma das maiores quedas da história – milhares de investidores ingressaram na Ibovespa e, de um total de quase 1 milhão, quase 220 mil investidores possuíam no máximo 500 reais investidos.

Assim, percebemos que muitos brasileiros estão começando a investir e eles não dispõe de nenhuma fortuna. Pelo contrário, estão numa bem comum para qualquer brasileiro.

2 – Não tenho tempo para investir

Esta questão não está apenas ligada aos investimentos, mas sim a tudo que fazemos. Todo mundo reclama que não tem tempo, porém o tempo é a mais justa das variáveis, afinal, ricos e pobres dispõem das mesmas 24 horas para fazer suas atividades. Desta forma a priorização é a chave para encontrar as respostas e vencer na vida.

Estabeleça suas metas e define qual a estratégia para atingi-las. Depois, organize a sua rotina de forma que contemple todas as suas atividades obrigatórias e o que você precisará fazer para conquistar seus sonhos.

3 – E se eu perder tudo?

Todos temos medo de perder todo o seu dinheiro, não apenas nos investimentos.  Isso é natural a todo ser humano e pode acontecer não somente investindo na bolsa, mas com uma tomada de decisão errada, por exemplo. 

Mas calma! Investir não significa colocar todo o seu dinheiro em um único ativo ou fazer escolhas baseadas na especulação. Muito pelo contrário! Um bom investidor calcula meticulosamente os riscos das suas operações e faz, obrigatoriamente, a diversificação dos seus ativos.

O que é diversificação de investimentos?

A diversificação é uma estratégia utilizada por investidores para lidar com as flutuações do mercado e proteger seu patrimônio. Além disso, com uma carteira diversificada você tem mais chances de conseguir uma melhor rentabilidade.

Então, distribua os seus investimentos entre ativos distintos, que não sejam influenciados pelos mesmos fatores. Para exemplificar, segue uma lista de possíveis investimentos para diversificação da carteira e diminuição da exposição ao risco:

  • Fundos de Investimentos em renda fixa;
  • Fundos Multimercado;
  • Tesouro Selic;
  • Tesouro Pré-fixado;
  • Fundos de Investimentos em renda variável;
  • Ações;
  • Fundos Imobiliários;
  • CDB, LCI, LI.

Um alerta que deve ser dado é que, antes de um investidor inteligente começar a investir, ele deve ter ao menos o valor equivalente a 6 meses de suas necessidades básicas em uma Reserva de Emergência. Descubra como montar a sua aqui.

Além disso, com uma simples organização você consegue diminuir muito seu risco. Porém, neste caso, é importante contratar uma assessoria ou participar de uma escola de investimentos.

Nosso blog pode e vai lhe ajudar com conteúdo gratuito e de qualidade para se aprofundar sobre investimentos, porém não irá lhe fornecer sugestões de compra. Logo, listo algumas instituições competentes que podem lhe ajudar nesta escolha: EQI, Warren, Suno e Eleven.

Diversificação reduz os riscos, aumenta a previsibilidade e impulsiona os retornos.

Robert Brokamp

4 – Tenho pouco dinheiro para investir

Desde já saiba que nunca é tarde para começar a investir. Ainda mais se levarmos em consideração a possibilidade de nosso capital ser alavancado pelos juros compostos. Para você ter uma ideia, usei o simulador de juros compostos do site da Nathalia Arcuri para compartilhar com vocês. Por sinal, se você ainda não conhece o Blog Me Poupe, vale a pena acessar. 

Assim, a simulação é bem simples: você não possui nada para investir hoje, porém se organiza e começa com R$ 1000,00 por mês durante 360 meses, o equivalente a 30 anos.

Fonte: Me Poupe

E, para nossa surpresa, o resultado é muito bom!

Fonte: Me Poupe

Acredito que com isso você, investidor iniciante, percebeu que é possível sim alcançar um patrimônio considerável através dos investimentos e dos juros compostos. E para isso não é preciso investir grandes quantias de uma só vez, apenas manter a regularidade das suas aplicações a longo prazo.

5 – Não tenho conhecimento para escolher ativos para investir

Como você chegou até aqui, entendo que você quer saber qual é o pulo do gato para evoluir quando o assunto é Inteligência Financeira. Pois bem, eu não tenho esta resposta, porém, vou dar a você nesta jornada do investidor iniciante uma boa dica:

Busque um curso e ou uma escola de investimentos que irá lhe capacitar para tal. Aqui no Brasil existe a SUNO a qual já tive o prazer de fazer alguns de seus cursos e sei que são muito bons. Para você saber se é isso mesmo que você busca, eles também lançaram alguns minicursos gratuitos, desta forma antes de comprar um curso pago assista aos minicursos gratuitos.

Além disso, sugiro você acompanhar nossas postagens aqui no Blog e também acessar nosso aplicativo. Disponibilizaremos toda semana muita informação relevante sobre investimentos.

Educação nunca foi despesa. Sempre foi investimento com retorno garantido.

Sir. Artur lewis

6 – Tenho medo do Sistema Financeiro

Esta objeção já foi muito comum para os brasileiros. Quem é mais experiente e estiver lendo pela primeira vez o blog pode se lembrar do que ocorreu na década de 90 com o congelamento dos valores da Poupança. Contudo, isso ocorreu em um fatídico momento de nossa história, e no cenário atual isso é praticamente impossível. 

Além disso, organizações como o FGC garantem a proteção de crédito de até 250 mil reais para investimentos como: CDB, LCIs, LCAs, LCs. Já o Tesouro Direto, por sua vez, é garantido pelo Tesouro Nacional. Ou seja, é um dos investimentos mais seguros do mercado.

Assim, conforme vimos neste ponto, objeções para não investir sempre existiram e sempre vão existir. Porém, o conhecimento é a chave para evoluir e te dar o embasamento necessário para investir com confiança e segurança. Agora vamos entender um pouco mais sobre quais opções o investidor iniciante pode escolher.

Quais os tipos de investimentos para iniciantes?

Listei abaixo 6 tipos de investimentos que são opções comuns para o investidor iniciante

Primeiramente gostaria de apresentar os 6 tipos mais comuns de investimento para um investidor iniciante.
6 tipos de investimentos comuns no Brasil.

Depois que você conheceu os principais tipos de investimentos, gostaria de te convidar para acessar as páginas específicas que preparamos para cada um dos investimentos acima listados. Nelas você encontrará informações específicas e detalhes sobre o que é e como investir em cada um deles.

Tesouro Direto
CDB
LCI/LCA
Fundos de Investimentos
FIIs
Ações

Compartilhe nas redes sociais. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Artigos relacionados