Categoria:

O que são commodities?

Compartilhe nas redes sociais
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Apesar da maioria da população não saber ao certo que são commodities, elas estão mais presentes nas nossas vidas do que você imagina.

Café, soja, petróleo e até mesmo o real são alguns exemplos de commodities. Entenda agora o que são commodities, qual a sua importância e como investir nelas!

Plantação de milho

Afinal, o que são as commodities?

Basicamente, commodities são matérias-primas. E inglês commodity significa mercadoria. Originalmente o termo era utilizado para definir todas as mercadorias. Porém, com o tempo, criaram-se características específicas que uma matéria-prima precisa ter para ser considerada uma commodity. São elas:

  • Ter relevância mundial e alto nível de comercialização;
  • Ser um produto de origem primária;
  • Produzido em larga escala;
  • Capacidade de ser estocada a médio/longo prazo;
  • Sofrer pouca industrialização;
  • Ter qualidade e produção semelhantes independente do produtor.

Justamente por essas características os preços dessas mercadorias são definidos pela oferta e procura. Afinal, não há muita diferença entre uma saca de soja, seja qual for o produtor.

Além da oscilação na procura afetar os próprios preços das commodities, ela também impacta outros investimentos. Isso ocorre porque essas matérias-primas são fundamentais para o desenvolvimento de diversas atividades que também são vinculadas às bolsas de valores. 

Por exemplo, as negociações e a cotação do petróleo estão frequentemente impactando a bolsa de valores brasileira e de muitos outros países do mundo.

Assim, as commodities são produtos consumidos em larga escala e com uma variação de preços constante. Devido a isso, elas são consideradas uma excelente oportunidade de investimento. Entenda agora quais são os tipos de commodities existentes e como investir nelas.

Tipos de commodities

Existem várias categorias de commodities, geralmente relacionadas à sua origem. Conheça agora as principais:

  • Agrícolas

São as commodities relacionadas ao agronegócio. Alguns exemplos são: milho, café, trigo, açúcar, soja, algodão, suco de laranja, etc. Esse é o tipo de commodity mais relevante para a economia brasileira. 

  • Ambientais

São insumos originários de recursos naturais produzidas em condições sustentáveis. Eles atuam como matéria-prima para a indústria e a agricultura, como a madeira, geração de energia, água e até créditos de carbono.

  • Minerais

Reúnem os minerais como, por exemplo, petróleo, ouro, prata, alumínio, gás natural, etanol, etc.

  • Financeiras

Incluem-se as moedas como o euro, dólar, real e até mesmo os títulos públicos do governo federal como o Tesouro Direto.

As principais commodities brasileiras

O Brasil é uma superpotência na produção de commodities agrícolas, ficando atrás somente dos Estados Unidos. Suas principais commodities são café, soja, milho, cacau e laranja.

Além disso, outros destaques do Brasil são petróleo, boi gordo, minério de ferro e alumínio. Essas commodities também têm um papel importante na produção nacional e no volume de exportações.

O principal motivo para a importância das commodities na economia brasileira é o seu extenso território abundante em recursos naturais. Isso nos oferece uma grande variedade de matérias-primas e em uma quantidade competitiva. 

Dessa forma, a economia brasileira é altamente influenciada pelo mercado de commodities. Segundo o levantamento realizado em 2019 pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), 63% do valor das exportações brasileiras são referentes a commodities.

Ainda conforme a UNCTAD, os países em que as exportações de commodities superam 60% das exportações totais em termos de valor já são considerados como dependentes desse tipo de mercadoria.

Todavia, essa expressiva atuação das commodities na economia brasileira tem também um lado negativo. Apesar dos itens exportados pelo Brasil serem muito consumidos em todo o mundo e essenciais para diversas atividades, a variação externa dos preços pode impactar nossa economia.

O Brasil não pode precificar suas commodities de forma independente. Assim, quando a demanda internacional está alta, o preço aumenta e os produtores ganham mais. Contudo, se a demanda diminui, o preço também cai. Dessa forma, algumas vezes as venda são feitas por valores menores do que os previstos.

Então, mesmo tendo um papel fundamental na economia mundial, fornecendo matéria-prima para diversos países, o Brasil pode ser afetado até mesmo pela crise interna de outros países.

Essa variação também afeta os preços internos. Se o preço de determinado produto aumenta no mercado exterior, é comum que os produtores prefiram vender para fora ao invés de suprir o mercado interno. Assim, o preço também sobe para o comércio local, afetando a população. 

Como investir em commodities

O Brasil é um grande produtor e exportador de commodities. Por isso, o mercado de negociação é tão ativo e oferece muitas oportunidades para os investidores pessoas físicas.

Como são fundamentais para o mundo todo, as commodities têm um grande peso na economia. São indispensáveis para nossa sobrevivência e o desenvolvimento dos países. Por isso, a negociação dos preços é realizada em escala global.

E para que isso aconteça, é necessária uma estrutura organizada capaz de tornar possível a negociação em escala global.

O meio acessível de se fazer isso é por meio das bolsas de valores. Tais preços sofrem oscilações de acordo com a oferta e procura, assim como o preço de qualquer mercadoria.

A negociação no mercado de commodities do Brasil é feita sob a forma de contratos no chamado Mercado Futuro, um ambiente que faz parte da B3. Não há qualquer transferência física de produtos.

Então, negociar contratos de soja por um preço não significa que o investidor irá receber sacas do produto no prazo combinado, mas sim o retorno esperado caso o preço negociado previamente seja atingido.

Sendo assim, não é necessário nenhum pagamento imediato quando você faz um investimento em commodities. Você lidará com as oscilações futuras nos preços, recebendo pelos ganhos e pagando as perdas.

Por isso, você não precisa aplicar todo o valor, mas apenas uma parte como garantia que confirme que você poderá lidar com eventuais prejuízos. Essa garantia não precisa ser fornecida necessariamente em dinheiro, mas também em ações, CDBs entre outros ativos.

Se na data combinada da liquidação, o preço estiver abaixo do que foi firmado, o vendedor recebe a diferença até chegar ao que foi combinado, e se estiver acima é o investidor quem recebe.

Perceba que por meio dos contratos futuros as commodities acabam por ter características muito parecidas com outros ativos negociados no mercado de renda variável. Assim, ao aplicar em commodities você pode lucrar com a variação do preço de produtos que possuem uma alta demanda do mercado mundial.

Vantagens de investir em commodities

Para entender de fato a vital importância das commodities, é só pensar no seu dia a dia que verá a participação de tais insumos em, praticamente, todos os momentos da sua vida.

Além da importância das commodities para todas as pessoas, outras vantagens de investir nelas são:

  • Diversificação nos investimentos;
  • Aumentar a probabilidade de ganhos sem ter todo o capital disponível em conta;
  • Alta liquidez e grande volume de negociações;
  • Estratégias com liquidez e volume;
  • Exposição de parte do patrimônio ao dólar.

Essa última é uma das vantagens mais relevantes, visto que ao adquirir commodities de dólar você protege o seu dinheiro de possíveis baixas do real. Ter parte do seu dinheiro exposto ao dólar é uma atitude sábia no Brasil. O histórico político e nacional provou diversas vezes que o investidor sábio deve estar preparado para reviravoltas inesperadas.

O mercado de commodities é essencial em todo o mundo

As commodities vão muito além dos seus principais usos no nosso cotidiano. Você viu que é possível ganhar dinheiro negociando soja, milho, café, boi e até mesmo dólar. Essa negociação é feita, no Brasil, por meio do Mercado Futuro, onde o investidor ganha ou perde com base na oscilação dos preços das commodities.

Todavia, para investir em commodities é preciso ter conhecimento sobre o produto escolhido, como ocorrem suas variações. Verifique, antes de tudo, se essas operações são compatíveis com seu perfil de investidor. Afinal, é necessário ter acesso às melhores ferramentas e suporte para tirar melhor proveitos das tantas oportunidades que este mercado oferece.

Cabe lembrar que o mercado das commodities é variável, com oscilações dos índices constantes e imprevisíveis. Esteja preparado para essas variações, agregue o conhecimento necessário e usufrua dessa excelente opção de investimento.

Para mais dicas de investimentos acompanhe o blog do Bolsa de Dados!

Compartilhe nas redes sociais. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Artigos relacionados